Prefeito de Curitiba faz crítica após desrespeito ao isolamento em Curitiba: ‘Irresponsabilidade em saúde pública pode ser homicídio’

0
102

Depois de um fim de semana de lojas lotadas e aglomerações em diversas regiões de Curitiba, o prefeito de Curitiba Rafael Greca reforçou nesta segunda (27) a necessidade de isolamento social durante a live diária sobre o covid-19. Entre os exemplos de irresponsabilidade, ele citou o grande número de pessoas nos jardins do Museu Oscar Niemeyer, no Centro Cívico, no domingo (26). “Esse vírus mata, então renovo meu veemente apelo para que a população não relaxe no isolamento social com responsabilidade. Nós não vamos sair caçando pessoas a laço, nem vamos revogar direitos de ir e vir, mas recomendamos e suplicamos a manutenção das medidas de distanciamento, com máscara, para o bem de todos os seus semelhantes”, disse ele.

“Se estamos abaixo da curva, é porque há um grande esforço coletivo e uma inteligente postura da maioria, que impede a circulação ativa do vírus. Autorizamos a Guarda Municipal a agir e notificamos a loja de pipas do Sítio Cercado e também a loja de móveis que fez liquidação no Novo Mundo. Isso é irresponsabilidade e irresponsabilidade em saúde pública pode ser homicídio”, afirmou o prefeito. Curitiba confirmou novo óbito por coronavírus nesta segunda-feira (27). A vítima é um homem de 81 anos, doente renal. Segundo o boletim divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde também foram confirmados novos 26 casos da doença. Agora a Capital totaliza 535 casos e 17 óbitos.

A Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba reforça a necessidade de a população manter o isolamento domiciliar e distanciamento social, além da obrigatoriedade do uso de máscaras caseiras nos ambientes públicos, quando for inevitável sair. Deve-se ainda higienizar constantemente as mãos e evitar tocar o rosto. “Ainda não chegamos no pico da epidemia em Curitiba. Precisamos manter o isolamento e distanciamento social, que é o que está nos ajudando, até o momento, a achatar a curva de casos no município”, explica a secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak. De acordo com a secretária, caso haja um relaxamento das medidas de isolamento e distanciamento social, por parte da população, com reuniões e confraternizações, Curitiba pode enfrentar um aumento significativo no número de casos de covid-19. “A população está sendo cooperativa até aqui. Precisamos manter o foco”, diz. Segundo a secretária, é importante que a população continue respeitando as medidas de isolamento social (para os grupos de risco e pessoas com sintomas respiratórios) e distanciamento social (para todos) para que a cidade atravesse a pandemia com o menor impacto negativo possível. A orientação é para que as pessoas evitem sair de casa, principalmente idosos com 60 anos ou mais, doentes crônicos e gestantes. “Não é o momento de fazer visitas, churrascos, festas”, afirma Márcia. Quando for inevitável sair, é obrigatório o uso de máscara caseira de pano e guardar uma distância de 1,5 metros de outras pessoas.

Fiscalização – Balanço da Guarda Municipal aponta que as equipes fizeram 8.345 orientações nos últimos três dias. No Xaxim, um churrasco foi desmobilizado na sexta-feira (24/4), na Praça Gregório Piatkowski. Aglomerações com a participação de centenas de pessoas para campeonatos de pipas somaram 21 ocorrências, com orientações em todas as regiões da cidade. Houve apreensão de cerol – material proibido – no Cajuru e no Pinheirinho. O campo de futebol da Vila Camargo também foi espaço de reunião de uma grande quantidade de pessoas.

A Loja Aliança, de móveis, no bairro Novo Mundo, foi notificada pela Prefeitura de Curitiba nesta segunda-feira (27), após anunciar promoção e abrir as portas em desacordo com as medidas previstas pelo poder municipal para reabertura em tempos de pandemia de coronavírus.. Segundo a Prefeitura, a empresa responsável deve apresentar defesa relativa à cassação de alvará. O caso foi denunciado em reportagem publicada no Bem Paraná no domingo (26). 

Nove bares e lanchonetes foram fiscalizados em nova Ação Integrada de Fiscalização Urbana (Aifu), na noite de sexta-feira (27). Os estabelecimentos vistoriados ficam nos bairros Centro, Mercês, Juvevê e São Francisco. Um deles, na Rua Conselheiro Carrão, no Juvevê, foi fechado. A notificação expedida pelos fiscais da Secretaria do Urbanismo (SMU) estipulou paralisação imediata das atividades por não atender as determinações da resolução municipal nº 1/2020 que trata das medidas complementares de prevenção à covid-19