vale divulgou nesta quinta-feira (12 ) que a causa do rompimento da barragem da mineradora em Brumadinho foi “liquefação”, que é o acúmulo de água. Um estudo técnico contratado pela empresa confirmou.

A barragem B1, da Mina Córrego do Feijão, se rompeu no dia 25 de janeiro deste ano, e deixando um rastro de mortes e destruição.

O fenômeno é explicado no relatório como ‘perda de resistência significativa e repentina’ e aponta que os rejeitos e outros materiais que estava na barragem apresentavam ‘comportamento frágil’.

Seis dias após a tragédia, o subsecretário de Regularização Ambiental da Secretaria do Meio Ambiente de Minas, Hildebrando Neto, disse que tudo indicava que o rompimento da estrutura poderia ter sido causado por liquefação, que foi o mesmo fenômeno causador do colapso da barragem da Samarco em Mariana, em 2015.