Atraso de 13 horas em voo na Argentina gera indenização para cascavelenses

As mulheres deverão ser indenizadas em R$ 2 mil para cada…

0
73

Duas mulheres entraram na justiça contra a Flybondi Líneas Aéreas após cancelamento de voo entre duas cidades da Argentina.

Segundo o processo, analisado e sentenciado pelo juiz de Direito, Rosaldo Elias Pacagnan, as clientes adquiriram passagens aéreas em no dia 01 de janeiro para voo de Buenos Aires à Puerto Iguazú.

porém, o embarque que estava previsto para às 12h20 foi cancelado e substituído para às 23h40 do mesmo dia e novamente adiado para às 01h30 do dia 02.

No dia 01 outubro de 2019, a Corte Argentina decidiu por meio da justiça a restringir horários de voos do Aeroporto El Palomar, em Buenos Aires.

 “O mais provável é que o cancelamento do voo original e a realocação dos passageiros tenham acontecido por causa da grande circulação de pessoas no feriado do Ano Novo, gerando atrasos em decolagens e pousos em geral, situações de over booking e coisas desse gênero, mas que não vem ao caso perquirir porque a justificativa apresentada pela ré não tem sustentação, na medida que comercializou as passagens para aquele dia, horário e aeroporto quase dois meses depois da resolução judicial que impôs algumas restrições ao funcionamento do aeródromo”, cita o juiz.

As autoras ainda alegaram que a companhia aérea não prestou qualquer assistência material, como o fornecimento de alimentos e acomodação em hotel durante o período de espera, pois houve demora de mais de 13 horas entre o horário em que teriam partido e o horário em que realmente se deu o retorno.

Assim, a Flybondi foi condenada pela Justiça a indenizar em R$ 2 mil para cada autora a título de danos morais.

Cabe recurso da decisão.